.: Nova cláusula da CCT de melhoria nas condições de trabalho é tema de seminário

A Contraf-CUT quer unificar a ação sindical para implementação da cláusula 57ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2015/2016), que dispõe sobre o desenvolvimento de programas para a melhoria contínua das relações de trabalho nos bancos, e representa uma importante conquista da categoria bancária em 2015, depois de 21 dias de greve. A nova cláusula é um dos temas da mesa bipartite de saúde que será retomada com a Fenaban, no dia 24 de fevereiro. Mas antes do encontro com os bancos, a Contraf-CUT realiza, no dia 15 de fevereiro, das 10 às 17h, um seminário nacional para discutir o tema.

O encontro, na sede da Confederação, em São Paulo, será voltado para coordenadores das COES, integrantes do Coletivo Nacional de Saúde e do Comando Nacional, mas está aberto a todos os dirigentes sindicais.

O secretário de Saúde da Contraf-CUT, Walcir Previtale, explica que a cláusula foi incorporada na CCT 2015/2016 após as conclusões do Grupo de Trabalho (GT) para analisar as causas dos afastamentos no setor bancário.

“Algumas das conclusões apontaram para uma frequência maior de adoecimento no segmento de gerentes da área comercial dos bancos. As doenças mentais aparecem com muita força no levantamento realizado pelo GT. As LER/DORT também continuam atingindo a saúde dos trabalhadores bancários. E esses problemas possuem estreita relação com o processo e organização do trabalho bancário”, relata Walcir, ao destacar, também a importância de discussão na nova cláusula.  “A responsabilidade da Contraf-CUT e da Fenaban, quando assinam uma cláusula, que prevê a abordagem desses temas, é muito grande. Por isso, o Seminário Nacional, no próximo dia 15, pretende debater e organizar a nossa atuação nas comissões que debaterão junto aos bancos" completa o secretário.

O processo negocial com a Fenaban em 2015 foi marcado por intensos debates a respeito da imposição de metas abusivas e o risco que representam para a saúde dos trabalhadores em todo o país. Pela primeira vez, as instituições bancárias reconheceram excessos na cobrança de metas e aceitaram negociar as soluções visando a melhoria das relações e das condições de trabalho dentro dos bancos.

A cláusula 57ª determina que a Fenaban institua, em cada banco, uma comissão paritária, constituída por representantes das COE’s (Comissão de Organização dos Empregados), da Contraf-CUT e do empregador, para acompanhamento e implementação de políticas que intervenham nos ambientes de trabalho, com objetivos de melhorar as relações e condições de trabalho.

"Para a representação dos trabalhadores, a melhoria das relações de trabalho somente é possível com condições de trabalho adequadas aos empregados, num ambiente de trabalho saudável, livre de assédio moral e da imposição de metas abusivas, livre de adoecimentos e afastamentos", defende Walcir Previtale.

Agenda

Seminário Nacional - Cláusula 57ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2015/2016)

Data: 15 de fevereiro

Horário: Das 10h às 17h

Local: Auditório da Contraf-CUT – São Paulo

Contraf-CUT

.: Veja Mais

Imagem Indisponível

Brasileiros querem bancos com bancários

Entenda próximos passos da campanha e participe

Imagem Indisponível

HSBC é acusado de lavar dinheiro do terrorismo

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente