Cinco maiores bancos disponibilizam telemedicina e testes para bancários

O Comando Nacional dos Bancários se reuniu por videoconferência nesta terça-feira (12) com a Federação Nacional dos Bancários (Fenaban) e conquistou o compromisso de que os bancários dos cinco maiores bancos (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander) poderão realizar o teste para diagnosticar a Covid-19, após o atendimento via telemedicina.

Os testes podem, ou não, ser indicados pelo médico que fizer o atendimento via telemedicina, de acordo com a avaliação médica e os sintomas. As consultas neste sistema também podem ser realizadas pelos dependentes.

A Fenaban informou que, em um banco onde o sistema já foi implantado, o serviço de telemedicina recebeu 400 ligações e 20% destes atendimentos gerou pedido de exames (testes RT-PCR) para diagnosticar se a pessoa está, ou não, com o vírus.

Transparência - O Comando Nacional também questionou a postura dos bancos com relação à sanitização das agências, pois teve quem mudou o procedimento e outros fazem a sanitização e não informam para os bancários o motivo.

A Fenaban disse que alguns bancos passaram a utilizar os mesmos procedimentos de sanitização de hospitais e outros serviços que precisam manter o funcionamento simultaneamente aos procedimentos para a desinfecção do ambiente, que permite a reabertura da agência mais rapidamente. Disse também que alguns gestores estão realizando os procedimentos de sanitização como medida preventiva.

Santander - O Comando Nacional também questionou a mudança de protocolo de isolamento e afastamento de funcionários de locais de trabalho onde foram constatados casos confirmados e suspeitos de Covid-19, sem comunicar ao movimento sindical, principalmente no banco Santander. Alguns gestores não estão afastando os funcionários das agências onde houve casos confirmados e nem o isolamento preventivo em casos de suspeita.

A Fenaban disse que cada banco adota procedimentos distintos, sempre de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, mas levará a questão para os bancos para que seja analisada. O assunto voltará a ser tratado na próxima reunião.

Imprimir