.: Explicando porque permanecemos em greve

Proposta da Fenaban retira mais de R$ 1,2 bilhão da PLR dos bancários

 

 

Bancários se reúnem nesta segunda-feira, às 19 horas, no Sindicato, para avaliar a greve

 

 A proposta apresentada pela Fenaban na negociação da quinta-feira 17 reduz drasticamente a distribuição da PLR em relação ao ano passado. Pela proposta já rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários, somente os seis maiores bancos do país (BB, Itaú Unibanco, Bradesco, Caixa, Santander e HSBC) deixariam de distribuir aos bancários mais de R$ 1,2 bilhão, segundo cálculos efetuados pelo Dieese.

 

A regra da PLR do ano passado foi de 90% do salário mais R$ 966, limitado a R$ 6.301. Se o total pago de PLR ficou menor que 5% do lucro líquido, o pagamento foi majorado até chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 13.862. Além disso, dependendo do crescimento do lucro líquido de 2007 a 2008, o bancário recebeu o valor adicional de até R$ 1.980.

 

A proposta da Fenaban para este ano é: a) pagamento de 1,5 salário até R$ 10 mil, limitado a 4% do lucro líquido do ano de 2009; b) mais parcela linear de 1,5% do lucro líquido, limitado a R$ 1.500 - com desconto do programa próprio do banco, onde houver.

 

Isso significa que os bancos querem pagar de PLR este ano no máximo 5,5% do seu lucro líquido, enquanto pela fórmula do ano passado o limite foi de 15% do lucro líquido. Dessa forma, a proposta dos bancos têm os seguintes problemas:

 

- Reduz o teto de distribuição de 2,2 salários para 1,5 salário.

- Diminui o limite de pagamento de R$ 13.862 para R$ 10.000.

- O valor adicional que no ano passado podia chegar a R$ 1.980, com a mudança para parcela linear pode atingir no máximo R$ 1.500.

- O valor adicional do ano passado ficou acima dos tetos e sem desconto dos programas próprios. Com a atual proposta, passa a haver o desconto.

 

Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato de São Paulo mostra que os seis grandes bancos que operam no país pagaram em 2008 R$ 2,8 bilhões de PLR a seus trabalhadores. Pelo lucro anualizado que esses mesmos bancos apresentaram no primeiro semestre deste ano, pela proposta da Fenaban a PLR seria reduzida para R$ 1,6 bilhão em 2009 (confira na tabela).

 

Estimativa do montante pago de PLR em 2008 e 2009*

Banco

em R$

variação percentual 2008/2009

em % do LL

2008

2009

2008

2009

BB

781.820.363,64

441.491.930,0

-44%

8,88%

5,50%

Caixa

481.974.047,64

127.327.420,0

-74%

12,41%

5,50%

Bradesco

501.443.249,68

442.238.720,0

-12%

6,58%

5,50%

Itaú Unibanco

864.821.768,39

504.430.520,0

-42%

10,33%

5,50%

Santander

110.329.643,63

110.662.530,0

0%

7,16%

5,50%

HSBC

122.639.423,99

27.473.710,0

-78%

9,08%

5,50%

TOTAL

2.863.028.496,97

1.653.624.830,0

 

 

 

* com a regra proposta pela Fenaban

Fonte: Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato dos Bancários de São Paulo, com base nos dados dos balanços dos bancos do ano passado e na projeção anualizada dos lucros destes mesmos bancos no primeiro semestre de 2009

 

Ou seja, os bancos estão querendo retirar mais de R$ 1,2 bilhão dos bancários para aumentar ainda mais seus lucros exorbitantes. Essa é uma proposta inaceitável e por isso a categoria continuará em greve por tempo indeterminado.

Por tudo isso, a nossa assembléia de hoje à noite é de avaliação e não haverá deliberação sobre a greve, que continua até que os banqueiros mudem a proposta.

Proposta da Fenaban retira mais de R$ 1,2 bilhão da PLR dos bancários

 

 

Bancários se reúnem nesta segunda-feira, às 19 horas, no Sindicato, para avaliar a greve

 

 A proposta apresentada pela Fenaban na negociação da quinta-feira 17 reduz drasticamente a distribuição da PLR em relação ao ano passado. Pela proposta já rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários, somente os seis maiores bancos do país (BB, Itaú Unibanco, Bradesco, Caixa, Santander e HSBC) deixariam de distribuir aos bancários mais de R$ 1,2 bilhão, segundo cálculos efetuados pelo Dieese.

 

A regra da PLR do ano passado foi de 90% do salário mais R$ 966, limitado a R$ 6.301. Se o total pago de PLR ficou menor que 5% do lucro líquido, o pagamento foi majorado até chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 13.862. Além disso, dependendo do crescimento do lucro líquido de 2007 a 2008, o bancário recebeu o valor adicional de até R$ 1.980.

 

A proposta da Fenaban para este ano é: a) pagamento de 1,5 salário até R$ 10 mil, limitado a 4% do lucro líquido do ano de 2009; b) mais parcela linear de 1,5% do lucro líquido, limitado a R$ 1.500 - com desconto do programa próprio do banco, onde houver.

 

Isso significa que os bancos querem pagar de PLR este ano no máximo 5,5% do seu lucro líquido, enquanto pela fórmula do ano passado o limite foi de 15% do lucro líquido. Dessa forma, a proposta dos bancos têm os seguintes problemas:

 

- Reduz o teto de distribuição de 2,2 salários para 1,5 salário.

- Diminui o limite de pagamento de R$ 13.862 para R$ 10.000.

- O valor adicional que no ano passado podia chegar a R$ 1.980, com a mudança para parcela linear pode atingir no máximo R$ 1.500.

- O valor adicional do ano passado ficou acima dos tetos e sem desconto dos programas próprios. Com a atual proposta, passa a haver o desconto.

 

Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato de São Paulo mostra que os seis grandes bancos que operam no país pagaram em 2008 R$ 2,8 bilhões de PLR a seus trabalhadores. Pelo lucro anualizado que esses mesmos bancos apresentaram no primeiro semestre deste ano, pela proposta da Fenaban a PLR seria reduzida para R$ 1,6 bilhão em 2009 (confira na tabela).

 

Estimativa do montante pago de PLR em 2008 e 2009*

Banco

em R$

variação percentual 2008/2009

em % do LL

2008

2009

2008

2009

BB

781.820.363,64

441.491.930,0

-44%

8,88%

5,50%

Caixa

481.974.047,64

127.327.420,0

-74%

12,41%

5,50%

Bradesco

501.443.249,68

442.238.720,0

-12%

6,58%

5,50%

Itaú Unibanco

864.821.768,39

504.430.520,0

-42%

10,33%

5,50%

Santander

110.329.643,63

110.662.530,0

0%

7,16%

5,50%

HSBC

122.639.423,99

27.473.710,0

-78%

9,08%

5,50%

TOTAL

2.863.028.496,97

1.653.624.830,0

 

 

 

* com a regra proposta pela Fenaban

Fonte: Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato dos Bancários de São Paulo, com base nos dados dos balanços dos bancos do ano passado e na projeção anualizada dos lucros destes mesmos bancos no primeiro semestre de 2009

 

Ou seja, os bancos estão querendo retirar mais de R$ 1,2 bilhão dos bancários para aumentar ainda mais seus lucros exorbitantes. Essa é uma proposta inaceitável e por isso a categoria continuará em greve por tempo indeterminado.

Por tudo isso, a nossa assembléia de hoje à noite é de avaliação e não haverá deliberação sobre a greve, que continua até que os banqueiros mudem a proposta.

" target="_blank">-->

.: Veja Mais

Fenaban retoma negociações, mas pede suspensão temporária para discutir nova PLR

Imagem Indisponível

Sindicato conquista bolsa de estudo no BMB

Imagem Indisponível

Antecipação da PLR do Itaú sai no dia 7

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente