.: Explicando porque permanecemos em greve

Proposta da Fenaban retira mais de R$ 1,2 bilhão da PLR dos bancários

 

 

Bancários se reúnem nesta segunda-feira, às 19 horas, no Sindicato, para avaliar a greve

 

 A proposta apresentada pela Fenaban na negociação da quinta-feira 17 reduz drasticamente a distribuição da PLR em relação ao ano passado. Pela proposta já rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários, somente os seis maiores bancos do país (BB, Itaú Unibanco, Bradesco, Caixa, Santander e HSBC) deixariam de distribuir aos bancários mais de R$ 1,2 bilhão, segundo cálculos efetuados pelo Dieese.

 

A regra da PLR do ano passado foi de 90% do salário mais R$ 966, limitado a R$ 6.301. Se o total pago de PLR ficou menor que 5% do lucro líquido, o pagamento foi majorado até chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 13.862. Além disso, dependendo do crescimento do lucro líquido de 2007 a 2008, o bancário recebeu o valor adicional de até R$ 1.980.

 

A proposta da Fenaban para este ano é: a) pagamento de 1,5 salário até R$ 10 mil, limitado a 4% do lucro líquido do ano de 2009; b) mais parcela linear de 1,5% do lucro líquido, limitado a R$ 1.500 - com desconto do programa próprio do banco, onde houver.

 

Isso significa que os bancos querem pagar de PLR este ano no máximo 5,5% do seu lucro líquido, enquanto pela fórmula do ano passado o limite foi de 15% do lucro líquido. Dessa forma, a proposta dos bancos têm os seguintes problemas:

 

- Reduz o teto de distribuição de 2,2 salários para 1,5 salário.

- Diminui o limite de pagamento de R$ 13.862 para R$ 10.000.

- O valor adicional que no ano passado podia chegar a R$ 1.980, com a mudança para parcela linear pode atingir no máximo R$ 1.500.

- O valor adicional do ano passado ficou acima dos tetos e sem desconto dos programas próprios. Com a atual proposta, passa a haver o desconto.

 

Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato de São Paulo mostra que os seis grandes bancos que operam no país pagaram em 2008 R$ 2,8 bilhões de PLR a seus trabalhadores. Pelo lucro anualizado que esses mesmos bancos apresentaram no primeiro semestre deste ano, pela proposta da Fenaban a PLR seria reduzida para R$ 1,6 bilhão em 2009 (confira na tabela).

 

Estimativa do montante pago de PLR em 2008 e 2009*

Banco

em R$

variação percentual 2008/2009

em % do LL

2008

2009

2008

2009

BB

781.820.363,64

441.491.930,0

-44%

8,88%

5,50%

Caixa

481.974.047,64

127.327.420,0

-74%

12,41%

5,50%

Bradesco

501.443.249,68

442.238.720,0

-12%

6,58%

5,50%

Itaú Unibanco

864.821.768,39

504.430.520,0

-42%

10,33%

5,50%

Santander

110.329.643,63

110.662.530,0

0%

7,16%

5,50%

HSBC

122.639.423,99

27.473.710,0

-78%

9,08%

5,50%

TOTAL

2.863.028.496,97

1.653.624.830,0

 

 

 

* com a regra proposta pela Fenaban

Fonte: Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato dos Bancários de São Paulo, com base nos dados dos balanços dos bancos do ano passado e na projeção anualizada dos lucros destes mesmos bancos no primeiro semestre de 2009

 

Ou seja, os bancos estão querendo retirar mais de R$ 1,2 bilhão dos bancários para aumentar ainda mais seus lucros exorbitantes. Essa é uma proposta inaceitável e por isso a categoria continuará em greve por tempo indeterminado.

Por tudo isso, a nossa assembléia de hoje à noite é de avaliação e não haverá deliberação sobre a greve, que continua até que os banqueiros mudem a proposta.

Proposta da Fenaban retira mais de R$ 1,2 bilhão da PLR dos bancários

 

 

Bancários se reúnem nesta segunda-feira, às 19 horas, no Sindicato, para avaliar a greve

 

 A proposta apresentada pela Fenaban na negociação da quinta-feira 17 reduz drasticamente a distribuição da PLR em relação ao ano passado. Pela proposta já rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários, somente os seis maiores bancos do país (BB, Itaú Unibanco, Bradesco, Caixa, Santander e HSBC) deixariam de distribuir aos bancários mais de R$ 1,2 bilhão, segundo cálculos efetuados pelo Dieese.

 

A regra da PLR do ano passado foi de 90% do salário mais R$ 966, limitado a R$ 6.301. Se o total pago de PLR ficou menor que 5% do lucro líquido, o pagamento foi majorado até chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 13.862. Além disso, dependendo do crescimento do lucro líquido de 2007 a 2008, o bancário recebeu o valor adicional de até R$ 1.980.

 

A proposta da Fenaban para este ano é: a) pagamento de 1,5 salário até R$ 10 mil, limitado a 4% do lucro líquido do ano de 2009; b) mais parcela linear de 1,5% do lucro líquido, limitado a R$ 1.500 - com desconto do programa próprio do banco, onde houver.

 

Isso significa que os bancos querem pagar de PLR este ano no máximo 5,5% do seu lucro líquido, enquanto pela fórmula do ano passado o limite foi de 15% do lucro líquido. Dessa forma, a proposta dos bancos têm os seguintes problemas:

 

- Reduz o teto de distribuição de 2,2 salários para 1,5 salário.

- Diminui o limite de pagamento de R$ 13.862 para R$ 10.000.

- O valor adicional que no ano passado podia chegar a R$ 1.980, com a mudança para parcela linear pode atingir no máximo R$ 1.500.

- O valor adicional do ano passado ficou acima dos tetos e sem desconto dos programas próprios. Com a atual proposta, passa a haver o desconto.

 

Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato de São Paulo mostra que os seis grandes bancos que operam no país pagaram em 2008 R$ 2,8 bilhões de PLR a seus trabalhadores. Pelo lucro anualizado que esses mesmos bancos apresentaram no primeiro semestre deste ano, pela proposta da Fenaban a PLR seria reduzida para R$ 1,6 bilhão em 2009 (confira na tabela).

 

Estimativa do montante pago de PLR em 2008 e 2009*

Banco

em R$

variação percentual 2008/2009

em % do LL

2008

2009

2008

2009

BB

781.820.363,64

441.491.930,0

-44%

8,88%

5,50%

Caixa

481.974.047,64

127.327.420,0

-74%

12,41%

5,50%

Bradesco

501.443.249,68

442.238.720,0

-12%

6,58%

5,50%

Itaú Unibanco

864.821.768,39

504.430.520,0

-42%

10,33%

5,50%

Santander

110.329.643,63

110.662.530,0

0%

7,16%

5,50%

HSBC

122.639.423,99

27.473.710,0

-78%

9,08%

5,50%

TOTAL

2.863.028.496,97

1.653.624.830,0

 

 

 

* com a regra proposta pela Fenaban

Fonte: Levantamento realizado pelas subseções do Dieese da Contraf-CUT e do Sindicato dos Bancários de São Paulo, com base nos dados dos balanços dos bancos do ano passado e na projeção anualizada dos lucros destes mesmos bancos no primeiro semestre de 2009

 

Ou seja, os bancos estão querendo retirar mais de R$ 1,2 bilhão dos bancários para aumentar ainda mais seus lucros exorbitantes. Essa é uma proposta inaceitável e por isso a categoria continuará em greve por tempo indeterminado.

Por tudo isso, a nossa assembléia de hoje à noite é de avaliação e não haverá deliberação sobre a greve, que continua até que os banqueiros mudem a proposta.

" target="_blank">-->

.: Veja Mais

Imagem Indisponível

Conferência dos Bancários aprovada reivindicações de Saúde e Condições de Trabalho

Imagem Indisponível

Justiça do Trabalho condena BB a pagar indenização de R$ 500 mil

Imagem Indisponível

Receita autua Itaú Unibanco em R$ 18,7 bilhões

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente