.: Carta aberta aos funcionários do HSBC

Os bancários do HSBC Brasil trabalharam duro no primeiro semestre de 2009 para conquistar R$ 2,1 bilhão de lucro, valor que consta do balanço contábil. Porém, para efeitos da distribuição da PLR da Convenção Coletiva esse resultado aparece como R$ 250 milhões. Fruto de tantos provisionamentos, inclusive PDD, que acabaram consumindo praticamente todo o esforço dos trabalhadores. Enquanto isso, o valor maior é utilizado como parâmetro para o pagamento dos executivos e acionistas do banco.

O mais grave é que esses provisionamentos são feitos para conter despesas que “eventualmente” possam acontecer. Segundo o diretor-executivo de finanças do HSBC Brasil, Álvaro Azevedo, o conservadorismo fez com que fosse ampliado o nível de provisões para crédito, conforme matéria divulgada pelo Jornal Valor Econômico, em 28 de agosto. A postura conservadora do banco prejudica os trabalhadores, interferindo diretamente no cálculo da PLR, já que a referência para pagamento é o lucro líquido.

A primeira parcela da PLR que será paga aos bancários será de 54% do salário, mais R$ 624,00, mais 2% do lucro líquido linear. Com o cálculo, no HSBC seria de 38% do salário, mais R$ 450,00, mais R$ 209,00.

No início deste ano já ocorreram problemas com o pagamento da PLR/PTI dos gerentes, quando também houve uma insatisfação generalizada em todo país, e novamente isto pode acontecer este ano, inclusive no pagamento da PPR/PTI, prejudicando os trabalhadores, responsáveis pelo lucro bilionário da instituição.

Mediante a polêmica na base dos cálculos, a Contraf-CUT agendou uma reunião junto a direção do banco para o dia 20, em São Paulo, em que discutirá o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) aos bancários. Na mesma data, também será feito o Dia Nacional de Luta dos funcionários do HSBC contra a exploração do banco no Brasil e no mundo.

Os bancários, responsáveis pelos bons resultados do banco, não permitirão que sejam mais uma vez sacrificados pelos ajustes feitos no balanço. Os empregados exigem valorização, como sinal de reconhecimento pelo seu empenho e dedicação.

A luta vai continuar até o banco reconhecer o esforço dos trabalhadores. Não podemos aceitar que o HSBC continue explorando você.

 

Sindicato dos Bancários

.: Veja Mais

Reunião COE Itaú-Unibanco debate sobre demissões na instituição

Programação do SindBan para o Dia dos Bancários

Bancários fecham 6.145 agências em todo o país no primeiro dia da greve

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente