.: CAIXA - Saem regras para promoção por mérito

A definição das regras para a promoção por mérito na Caixa Federal é uma vitória dos trabalhadores. As regras de avaliação e de distribuição dos deltas, que serão postas em prática no ano de 2011, foram divulgadas por meio de comunicação eletrônica pelo banco no último dia 17, e foram definidas em negociação com os trabalhadores, em comissão paritária para discutir o tema. Existem questões pontuais que podem ser melhoradas, mas sem dúvida é uma conquista dos empregados.

A promoção por mérito é um mecanismo fundamental para o PCS (Plano de Cargos e Salários). Quando foi concebido, o plano já previa que houvesse regras para avaliar e promover o empregado. Sem isso, o PCS não funciona. 

O Sindicato passou o ano de 2010 lutando para estabelecer critérios para a avaliação de 2009, mas nesse período o banco interrompeu a promoção por mérito. A força da categoria, demonstrada na greve deste ano, fez com que a Caixa não apenas retomasse as discussões sobre o tema, mas também se comprometesse a pagar um delta retroativo a janeiro deste ano, como forma de compensação. O valor das diferenças de 2010 – o delta corresponde a até 2,34% de reajuste salarial – será depositado até  30 de dezembro. A campanha deste ano também garantiu o compromisso da instituição em pagar a promoção de 2010 até março do ano que vem, retroativa a janeiro de 2011.

Regras – Segundo as normas estabelecidas, a avaliação terá critérios objetivos (frequência, conclusão da Trilha Fundamental Caixa e PCMSO) e subjetivos, sendo dois fixos escolhidos pela Caixa – para avaliar o desempenho do bancário em 2010 foram escolhidos o atendimento ao cliente e o foco no interesse público – e dois escolhidos pelos bancários de cada unidade da seguinte lista: capacidade de solucionar problemas; conhecimento do trabalho; disposição para mudanças; iniciativa e criatividade; relacionamento interpessoal; e atitude colaborativa no trabalho.

O método de avaliação será cruzado, contemplando auto-avaliação, avaliação entre os colegas – devendo cada empregado ser avaliado por dez pessoas que serão escolhidas de forma aleatória – e avaliação pelo gestor da unidade. O gestor também será avaliado pelo mesmo método.

Nota de corte – A nota da avaliação vai de 0 a 10, e com as novas regras ficou estabelecido que todos os bancários que ficarem com nota mínima de 8,2 receberão pelo menos um delta. O 8,2 é a nota de corte, outra reivindicação da categoria, atendida nas mesas de negociação.

Antes da nota de corte, explica a dirigente, o processo de promoção era excludente: a instituição determinava que 30% dos bancários receberiam dois deltas, 50% um delta e 20% ficavam sem nada, independente de sua avaliação. Ou seja, já ficava estabelecido que 20% dos empregados, independente do desempenho deles no ano, não receberiam nenhum reajuste. Agora com a nota de corte, o processo ficou mais justo porque existe a possibilidade de todos os trabalhadores receberem um delta.

Exceções – As regras foram divulgadas pela comunicação eletrônica CE SUDHU/GEDES e podem ser consultadas por todos os empregados. Ela estabelece que todos os bancários poderão participar da avaliação, com exceções: não participam os que apresentarem menos de 180 dias de efetivo; os desligados por qualquer motivo durante o ano de 2010; os que tiveram aplicação de penalidade de suspensão em 2010; os que tiveram aplicação de penalidade de advertência em 2010 ou que já tenham sofrido outra penalidade desta modalidade durante a vida funcional; e os empregados com contrato de trabalho suspenso em 31 de dezembro de 2010.

Com informações da Apcef/SP - 29/12/2010

.: Veja Mais

Vídeos do Sindicato

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente