.: Bancos engordam cofres na base da demissão

O maior lucro da história dos bancos e cortes de 16.852 postos de trabalho em 30 meses. O resultado do Itaú nos nove primeiros meses de 2013 atingiu R$ 11,156 bilhões, crescimento de 5,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Mas no material institucional de divulgação do balanço, destaque para o que o banco chama de Projeto Eficiência, por meio do qual reduziu o número de trabalhadores de 104.022 em março de 2011 para 87.440 em setembro de 2013. Isso significa extinguir 522 vagas por mês em 30 meses.

No Bradesco não foi diferente. Lucro líquido de R$ 3,064 bilhões no terceiro trimestre – resultado que superou as expectativas de analistas de mercado. O montante, terceiro maior da história entre os bancos para um terceiro trimestre, representa alta de 7,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Mesmo com esse lucro volumoso, em relação a setembro de 2012 houve redução de 2.690 postos de trabalho. Somente nos três últimos meses são 541 empregos a menos.

No Santander, a única diferença está no lucro, em queda. Foram R$ 4,335 bilhões no acumulado até setembro de 2013, o que representa redução de 8,9% em doze meses e 0,2% no trimestre. Mas a política de demissões é a mesma. Nos últimos 12 meses foram fechados 4.542 postos de trabalho, sendo 1.124 apenas nos últimos três meses.

DADOS – Os números dos balanços dos bancos são confirmados por pesquisa nacional feita pela Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Divulgado no dia 29, o levantamento realizado com base nos dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), demonstra: os bancos múltiplos com carteira comercial que operam no país fecharam 6.977 postos de trabalho entre janeiro e setembro de 2013, na contramão da economia brasileira, que gerou 1,323 milhão de novos empregos no mesmo período.

De acordo com o Caged, os bancos brasileiros contrataram 30.417 bancários entre janeiro e setembro e desligaram 33.177. No total do sistema financeiro, foram fechados 2.760 postos de trabalho. O Caged não discrimina a evolução do emprego por empresa; apenas por setor.

Considerando que a Caixa apresentou saldo positivo de 3.982 empregos nos primeiros nove meses do ano e que o Banco do Brasil manteve seu quadro de funcionários estável no período, fica evidente que os cortes nos postos de trabalho se concentraram mais uma vez nos bancos privados. “Vamos procurar esses bancos para retomar os debates sobre emprego. O setor deve isso a toda a sociedade brasileira, de onde extrai os gigantescos lucros que acumula ano a ano”, completa a presidenta do Sindicato.

Fonte: Sindicato dos Bancários de SP

.: Veja Mais

Imagem Indisponível

Febraban divulga expediente bancário na Copa do Mundo 2010

Sindban cobra soluções para a Cassi durante conferência

SINDBAN NÃO PARA: Ação Solidária ajuda trabalhadores Haitianos

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente