.: Bancários e Conespi promoverão debate para capacitar sindicatos na aplicabilidade do FAP

O Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região e o Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba (Conespi) promove palestra, seguido de debate, para capacitar seus sindicatos filiados quanto à aplicabilidade do Fator Acidentário de Prevenção (FAP), estabelecido pela Portaria Interministerial 254, de 24 de setembro de 2009, que atribui alíquota de às empresas, conforme o número de acidentes de trabalho registrados. O evento acontece no dia primeiro de dezembro, às 19h30, no plenário da Câmara de Vereadores de Piracicaba e contará com a participação do consultor Waldir Favarin Murar, médico do trabalho e ex-perito do INSS.
A decisão de promover esta palestra/debate foi tirada durante reunião do Conespi, nesta manhã de quarta-feira, dia 25 de novembro, no Sindicato dos Bancários, como forma de capacitar os dirigentes sindicais para esta nova medida, que visa pressionar as empresas a ter maior responsabilidade com a segurança e a saúde dos seus funcionários.
De acordo com o presidente do Conespi, Francisco Pinto Filho, como se trata de um tema novo, há necessidade de que o movimento sindical dos trabalhadores esteja preparado para garantir que esta medida não sufoque o operariado, uma vez que mexe no bolso do empresariado que não respeita as normas de saúde e segurança. Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região, o vereador José Antonio Fernandes Paiva (PT), que também é diretor de Comunicação do Conespi, esta portaria vem reforçar a política de prevenção, uma vez que o movimento sindical tem travado uma verdadeira batalha com o empresariado, de maneira geral, para assegurar o cumprimento das normas de saúde e segurança. “Precisamos incutir cada vez mais uma mentalidade preventiva em matéria de saúde e segurança no trabalho naqueles que são os grandes responsáveis. Inclusive, isso, de acordo com especialistas deve crescer a expectativa de vida dos trabalhadores. Não podemos mais assistir impassíveis o aumento do número de benefícios acidentários, mortes ou invalidez, que têm impacto negativo nas famílias, na sociedade e nas empresas”, complementa.
Para o diretor do sindicato e presidente do Sindicato dos Técnicos de Segurança, Durval Spada, os técnicos de segurança têm papel importantíssimo na implementação desta portaria, uma vez que a pressão sobre estes profissionais e, conseqüentemente, sobre os trabalhadores tende a aumentar. “É uma portaria que amplia o poder de combater trabalhos sem saúde e segurança, mas precisamos estar preparados para garantir que o trabalhador não seja punido por falhas das empresas”, destaca.
O secretário geral do Conespi, Milton Costa, explica que a implementação da metodologia do FAP servirá para ampliar a cultura da prevenção dos acidentes e doenças do trabalho, auxiliar a estruturação do Plano Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador (PNSST) que vem sendo estruturado mediante a condução do MPS, MTE e MS, fortalecendo as políticas públicas neste campo, e, principalmente, reforçar o diálogo social entre empregadores e trabalhadores. “Com isso, poderemos avançar cada vez mais rumo às melhorias ambientais no trabalho e à maior qualidade de vida para todos os trabalhadores no Brasil”, conclui.

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124

Youtube

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente