.: Bancários de Piracicaba fazem manifestação contra demissões em massa do Santander

Em duas horas de manifestação em frente ao banco Santander, dirigentes sindicais de Piracicaba destacaram hoje (18) durante o Dia Nacional de Luta, as quase 2.000 demissões que o banco espanhol efetuou nos primeiros dias de dezembro, promovendo um Natal de terror aos bancários. Somente em Piracicaba, nove foram demitidos. Em todos os casos, os funcionários tinham mais de 20 anos de banco.
 
Durante a manifestação, o presidente do Sindicato e também vereador, José Antonio Fernandes Paiva, salientou que a ação da entidade é de fiscalizar as ações dos patronais, e que o Santander agiu de forma irresponsável e incompetente ao demitir esses trabalhadores. “Como demitir esses bancários que são os responsáveis por gerar nos últimos nove meses um lucro líquido de R$ 5 bilhões para o banco. Isso é inadmissível, pois esse valor representa em cinco vezes o orçamento que Piracicaba terá para gerir o ano de 2013”, ressaltou ao dizer ainda, que se o Santander realizar mais uma demissão na base de Piracicaba seu mandato irá articular para que o banco espanhol não seja mais o principal administrador de grande parte das ações financeiras da Prefeitura de Piracicaba. “O Sindicato e meu mandato não ficarão omissos as atitudes arbitrárias dessa instituição financeira”, enfatizou.

De acordo com ele, seu mandato irá fiscalizar ainda o porquê de o Santander ser o responsável por grande parte das movimentações financeiras da Prefeitura de Piracicaba. Para o vereador e presidente do Sindicato, o correto seria um banco público ser o principal gestor da Prefeitura.

“Aqui no Brasil este banco tem lucro, patrocina inúmeras atividades e é a filial mais rentável da América Latina. Sua crise não é aqui, é na Europa, no entanto, somente os trabalhadores brasileiros é que estão sendo demitidos”, salientou Paiva.

As demissões realizadas pelo Santander aconteceram sem qualquer discussão prévia com o movimento sindical e sem nenhuma justificativa, sobretudo diante do lucro gerencial de quase R$ 5 bilhões até setembro desse ano, que representa 26% do resultado mundial do banco.

Conforme análise do Dieese, 95% dos bancários foram demitidos sem justa causa. "Cobramos a reversão das dispensas, o fim da rotatividade, mais contratações e melhores condições de saúde, segurança e trabalho", defendeu o dirigente sindical José Jaime Perim ao salientar ainda, que tais demissões ocasionarão numa piora no atendimento ao público, pois faltam bancários dentro dos bancos.

O Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região tem dado todo o apoio aos trabalhadores demitidos pelo banco e que dedicaram toda uma vida para o sucesso da empresa, sendo descartados às vésperas do Natal. “Nosso departamento de psicologia acolheu esses trabalhadores que entregaram sua vida a esse banco. Por serem muito competentes, oito já foram recolocados no mercado de trabalho”, informa o presidente.

 
Fernanda Moraes (28.535)
Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região
(19) 3417-1342 / 9171-7716
 

Youtube

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente