.: Ato dos Bancários cobra mais segurança em agências de Piracicaba

Diante do crescimento de assaltos e roubos em agências de Piracicaba, dirigentes do Sindicato dos Bancários (SindBan), nesta quarta-feira (5), paralisaram por uma hora o Banco do Brasil (BB), localizado na Avenida Independência, cobrando da instituição financeira e das autoridades mais segurança para funcionários, clientes e usuários. Em menos de dois meses, a agência da região sofreu três tentativas de roubo fora do horário do expediente.

Funcionários relataram a ansiedade diante dos fatos. “Estamos apreensivos, não sabemos o que e quem encontrar ao chegar ao trabalho.”

O presidente do Sindicato dos Bancários, José Antonio Fernandes Paiva, lembra que o descaso do Banco do Brasil com a estrutura da agência não condiz com o lucro líquido da instituição, que só no primeiro trimestre teve aumento de 117,3% em relação ao mesmo período de 2014. “Há uma fragilidade do ponto de vista da segurança para que os bancários possam ter condições ideais de trabalho.”

Segundo Paiva, o sindicato não pode se calar e cabe à entidade atuar preventivamente em favor dos bancários. “As ações dos meliantes deixaram sensação de insegurança. Na última terça-feira, notificamos o Banco do Brasil e a Polícia Federal para que em 72h sejam tomadas providências urgentes de segurança. Caso isso não ocorra, fechamos a agência”, garante.

Solidariedade – O sindicato estendeu a sua ação e visitou quatro agências da Vila Rezende, tradicional bairro da cidade, após tentativa de assalto ao Banco Bradesco ocorrida no dia 4, a qual deixou cinco mortos, entre eles quatro suspeitos e um policial militar, e mais três pessoas feridas. Paiva levou sua solidariedade aos bancários e vigilantes.

“É inadmissível, depois de uma ação criminosa desse porte, o Bradesco fazer atendimento normalmente como se nada tivesse acontecido. Mesmo conversando com a gerência do banco, ela não se sensibilizou e manteve a agência aberta, pensando apenas no lucro.”

O presidente do SindBan ressaltou ainda, que na hora do assalto, o carro forte estava descarregando o malote fora do horário permitido por lei. “O não cumprimento da lei municipal, que estabelece horário de carga e descarga de numerário nas agência, colocou todo mundo em risco.”

Após ação sindical, foi realizada reunião com a superintendência do Banco do Brasil, que se comprometeu a realizar ações efetivas na área de segurança.

Mariana Valadares - MTB: 43155/SP

.: Veja Mais

Funcionários do Santander já podem fazer adesão ao vale-cultura

Imagem Indisponível

Comitê de Planos PAC realiza reunião na Fundação Itaú Unibanco

Pauta de reivindicações específicas do BB será entregue nesta quinta-feira

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente