.: Abertura de processos Gedip em meio ao PAQ cheira a patifaria

Em meio a um novo processo de reestruturação promovido pelo Banco do Brasil, intitulado Programa de Adequação de Quadros, diversos bancários receberam, na sexta-feira 12, pedido de informação sobre supostas fraudes ou falhas em serviços ocorridos em 2013 (Processos Gedip). O Sindicato de São Paulo recebeu a confirmação de que o banco exigiu da Rerop – área de segurança responsável pelo procedimento – a abertura, a toque de caixa, de todos os processos, necessitando inclusive de realização de horas extras. Segundo funcionários da área, nunca houve tanta urgência nas demandas e sobrecarga de trabalho.

“A empresa pode investigar suspeitas de fraudes e falhas cometidos pelos seus funcionários. O que nos preocupa é a forma, o momento em que ocorreram e o público envolvido, pois indica uso político da ferramenta”, ressalta Silvia Muto, diretora do Sindicato de São Paulo e bancária do BB.

De acordo com a dirigente, os pedidos foram feitos de forma massificada e voltados aos bancários lotados nas redes de atendimento.

“O momento não poderia ser menos oportuno: em meio a uma reestruturação que demanda nomeações em outros prefixos. Caso o banco não acate a resposta do colega sobre a questão investigada, o processo segue para nova fase, o que implica na impossibilidade de nomeação para cargos”, avalia Silvia.

O público atingido pelos pedidos de informações sobre possíveis fraudes ou falhas envolve o segmento de gerentes, caixas e assistentes da área negocial. Justamente o público alvo da restruturação, e que, conforme instruções do banco, necessitam de concorrência ou nomeação para conseguir o deslocamento para nova unidade.

 

De acordo com o diretor do Sindicato de Piracicaba e bancário do BB, Rui Pezolato. Por mais que o BB saliente que a “Embora o banco tenha salientado que a restruturação não irá gerar descomissionamentos, existe um clima de terror e insegurança nos locais de trabalho”, alerta a dirigente. “Muitos não acreditam nas declarações do banco de que não serão afetados, pois vários colegas não foram nomeados acompanhando suas carteiras, como prometido”, acrescenta.

Para Rui, a abertura dos processos, nesse momento, não “cheira bem”. “Parece mais uma das traquinagens do ‘Caffarochio’: inventar impedimentos para nomear colegas, criando justificativas para não nomeação e consequente redução de salários. ”


O Sindicato está atento à nova reestruturação do BB e todas as medidas que podem lesar os funcionários. Caso o bancário se sinta prejudicado, deve entrar em contato por meio dos dirigentes, pelo telefone 19 - 34171333 

SP Bancários - Com Edições - Bruna Togni - MTB 81055/SP

.: Veja Mais

Imagem Indisponível

Bancários discutem assédio moral com Fenaban. Negociação segue nesta quinta

Imagem Indisponível

Indenização para cliente baleada em assalto dentro de agência bancária

Imagem Indisponível

Itaú Unibanco prorroga prazo de adesão ao novo plano de saúde para dia 5

SINDBAN TV

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente